domingo, 3 de janeiro de 2016

Resenha: Gaian - Cláudio Manoel



O prólogo começa com uma batalha épica no Grande salão de Eldor. De um lado, um grupo de paladinos que tentavam defender o Reino do Norte, e do outro Thane, Cypron e Krone, três irmãos tenebrosos e tiranos que desejam tomar Gaian por completa.
Nos capítulos seguintes, Ehlen Karon tem presságios através de seus sonhos com a queda do Reino do Norte e como líder de Arinon, ele convoca uma reunião e expõe aos conselheiros medidas drásticas para a proteção da cidade, que pode ser atacada em questão de dias. O ancião Amat resolve remarcar a reunião para o dia seguinte, para que outros anciões estivessem presentes e tomassem as decisões
Arffeck Vokam, um guerreiro sagrado que lutou na batalha se dirige a Arinon com o intuito de avisar a população que eles correm perigo e também salvar outro guerreiro sagrado, Heim Drumar, um camponês que ainda não sabe o que o destino tem pra ele. Ele luta contra Gruer e seus capangas para salvar Heim, explica aos conselheiros que os sonhos de Ehlen são reais, e juntamente com Heim seguem em direção ao norte para encontrar outro guerreiro.
A narrativa de Gaian é bem trabalhada e rica em detalhes, eu me sentia ali no meio das batalhas, como se estivesse presenciando cada acontecimento. Tudo é muito bem explicado e ainda há um apêndice no fim do livro com o nome e especificações das magias usadas, dos locais e dos personagens.
Quanto dos personagens, Brisrar foi quem mais me cativou. Ela é uma talentosa paladina, consegue ser precisa e habilidosa em combate, tem uma aura doce e gentil com as pessoas, e a compaixão é a sua maior característica, ela é realmente um amor de pessoa <3


Eu ainda não sei se gosto ou não do Arffeck. Ele é poderoso pra caramba e tem um senso de justiça inegável, mas eu achei a personalidade dele bem arrogante as vezes, mesmo que ele fosse o mocinho, além do que ele ainda precisa aprender a controlar as emoções (e quem sabe superar a perda de Erion).



Em 300 páginas, Claudio Almeida consegue elucidar toda a trama, unindo o passado e o presente de Gaian numa aventura mística e instigante. Guerreiros sagrados, reis corrompidos pelo poder, magias antigas, elfos, lobisomens (e até uma surpresa no último capítulo que eu adorei, amo essas criaturas) criam uma fantasia cativante e uma introdução perfeita para o que ainda está por vir. Estou muito ansiosa para ler a continuação, e se não for pedir demais, uma adaptação cinematográfica <3

Postar um comentário