domingo, 6 de setembro de 2015

Resenha: O Verdadeiro Poder - Claudia Taulois


Cintia sempre foi uma mulher guerreira que sempre lutou por seus ideiais em busca de concretizar seus objetivos. Sendo assim, foi a primeira mulher a ocupar a presidência do Brasil, prometendo assim acabar com as favelas, erradicar com os traficantes e legalizar as drogas para assim ficar mais fácil de combater.
Apesar da grande resistência dos inimigos e de vários fatos ocorridos que deveria fazer com que Cintia desistisse de seu mandato, ela continuou firme e forte, não deixando se abalar para combater todo esse mal, foram diversos conflitos que poderia intimidar qualquer um... Menos ela!
Mas o destino interpõe, fazendo com que ela descubra que seu grande e verdadeiro amor do passado, é na verdade uma das pessoas que ela tenta combater ferozmente. O destino brinca com as pessoas certo? Mas para salvar a vida de Cintia que está em perigo, Raphael resolve abdicar de sua vida e de tudo que conquistara para manter a segurança do seu grande amor. Ele pagaria um preço alto por isso, mas estava disposto a fazer. Não deu outra, ele resolveu se entregar e pagar por todos os crimes que tivera cometido para poder assim viver aquele amor intenso.

Esse livro é tão perfeito, a luta para viver esse amor verdadeiro e forte, a forma como Cintia e Raphael se entregam a esse sentimento. Me impressionou bastante a coragem de Cintia que apesar de vários acontecimentos trágicos não abriu mão do seu governo lutando sempre para o bem estar do povo brasileiro, fazendo com que suas promessas não ficassem apenas em promessas, mas que se concretizassem.

"- Você precisa apgar essa imagem que tem dele e as lembranças do passado." - Pág. 103

"Quando se pede ajuda a Deus ou a algo maior em que se acredite, precisamos estar atentos também para poder ouvir as respostas e receber a ajuda. Na maior parte das vezes, não vemos o que está na nossa frente, bastando que se levante o olhar aos céus em busca da resposta." - Pág. 123

"- Então é isso? Você está abandonando tudo, abrindo mão do poder, por amor? Vocês nem podem ficar juntos..." - Pág. 351

"- Ele não tentava sufocar seus momentos de tristeza e os vivia com a mesma intensidade, permitindo-se lembrar, chorar, esbravejar da forma como as emoções viessem." - Pág. 380

"- A vida se renova mais uma vez por meio do verdadeiro poder: o poder do amor, que é, no fim, o único capaz de suportar todo tipo de renúncia, provocações, distância e tempo"  - Pág. 469

Postar um comentário